sábado, 29 de novembro de 2008

Saber Viver

"(...) Eis a ideologia criminosa que se instalou definitivamente nas sociedades modernas: a vida não é para ser vivida - mas construída com sucessos pessoais e profissionais, uns atrás dos outros, em progressão geométrica para o infinito. É preciso o emprego de sonho, a casa de sonho, o maridinho de sonho, os amigos de sonho, as férias de sonho, os restaurantes de sonho.
Não admira que, até 2020, um terço da população mundial esteja a mamar forte no Prozac. É a velha história da cenoura e do burro: quanto mais temos, mais queremos. Quanto mais queremos, mais desesperamos. A meritocracia gera uma insatisfação insaciável que acabará por arrasar o mais leve traço de humanidade. O que não deixa de ser uma lástima.
Se as pessoas voltassem a ler os clássicos, sobretudo Montaigne, saberiam que o fim último da vida não é a excelência, mas sim a felicidade!"


João Pereira Coutinho , jornalista
Mas ou e, acrescento eu, sem saber bem...
"Sem a loucura que é o homem
Mais que a besta sadia,
Cadáver adiado que procria?"
Fernando Pessoa

Etiquetas:

1 Comentários:

Blogger pezinhos de cetim disse...

Foste Desafiada pela Seta do Cupido.

Passa no meu "estaminé", está lá tudo explicadinho ;)

Beijinhos, bom fim de semana

5 de dezembro de 2008 às 18:18  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial